Câmara cria comissão especial para despoluição da Lagoa de Araruama

Por Ascom/CMCF em 03/11/2018
Trabalho terá duração de 180 dias e contará com grupo composto por sete vereadores

Trabalho terá duração de 180 dias e contará com grupo composto por sete vereadores


A Câmara Municipal de Cabo Frio aprovou na sessão ordinária desta última quinta-feira (1º), o Projeto de Resolução nº 070/2018 que cria a comissão especial para tratar de assuntos referentes à despoluição da Lagoa De Araruama. O assunto entrou em pauta após a veiculação na imprensa e nas mídias sociais de vários vídeos de moradores e pescadores do bairro Praia do Siqueira reclamando do despejo de esgoto "in natura" na laguna.

 

O projeto é de autoria da vereadora Leticia Jotta e, segundo o artigo 47 do Regimento Interno da Casa, precisava do apoio de um terço (seis) dos vereadores para entrar em pauta. A comissão terá a duração de 180 dias, podendo ser prorrogada, caso necessário. O grupo de trabalho terá sete membros e ainda contará com o apoio da Procuradoria da Casa para elaborar todos os pareceres.

 

A Comissão Especial irá promover todas as ações necessárias com a finalidade de viabilizar debates públicos, técnicos e painéis de discussão envolvendo todos os segmentos da sociedade.

 

“A preservação do meio ambiente é uma necessidade imperativa dos nossos dias, pois, se fecharmos os olhos para os problemas atuais, corremos o risco iminente de inviabilizarmos o futuro de todas as gerações. A Lagoa de Araruama grita por socorro e esse grito atormenta a nossa consciência”, declarou a vereadora Leticia Jotta.

 

Prolagos na Câmara

 

No dia 12 de maio de 2017, o então diretor-presidente da Prolagos, Carlos Henrique Roma, utilizou Tribuna Livre da Câmara, convidado pelo vereador Silvio David – Blau Blau. 

 

Naquela ocasião, o representante da empresa utilizou a tribuna para esclarecer aos vereadores e à assistência presente sobre os procedimentos básicos que a concessionária vinha adotando no tratamento de água e esgoto da Região dos Lagos.

 

Foram apresentados gráficos dos investimentos, nos quais a Prolagos destacou a existência de sete estações de tratamento de esgoto e 76 elevatórias para bombear todos os dejetos produzidos até as estações, ao longo de 111 km de rede de esgoto.